portaldeitapua.com

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Joomla Templates and Joomla Extensions by ZooTemplate.Com

portaldeitapua.com portaldeitapua.com

portaldeitapua.com portaldeitapua.com

portaldeitapua.com portaldeitapua.com

portaldeitapua.com portaldeitapua.com

Marcelo Nova impede Camisa de Vênus de gravar álbum inédito

E-mail Imprimir PDF
Hacked By Romantic

Muslim Cyber Army

Por telefone, Marcelo conta que, da última vez em que esteve na cidade, foi abordado por um garoto em um shopping: "Ele me perguntou se eu tinha visto 'o que haviam feito com o Camisa de Vênus'. Ele me pediu para esperar. Aí ele volta com um CD com o logo do Camisa em uma capa de cartolina vagabunda e um CD-R com impressão que sai com a unha. Fiquei profundamente triste", relata.

O CD em questão é o Mais Vivo do que Nunca, lançado há pouco mais de um ano, com gravações ao vivo registradas durante a primeira turnê com Eduardo Scott. "O Camisa teve desde o início, fonograficamente falando, uma trajetória no mínimo respeitável. O último disco que o Camisa gravou (Quem é Você, 1996) foi coproduzido por Eric Burdon (lendário cantor da banda sessentista inglesa The Animals), mixado e masterizado em Los Angeles, com acabamento primoroso e qualidade técnica irrepreensível", lembra.

A gota d'água para Marcelo foi a notícia do edital da Secult. "O Camisa pedindo dinheiro ao governo para gravar disco me envergonha. Ora, nós surgimos para se opor justamente a esse tipo de coisa. Como titular do nome, me senti na obrigação de tomar medidas legais para pôr os pingos nos 'is'. Então, fiz uma comunicação de que haveria um impedimento", detalha.

Marcelo afirma que não pretende utilizar o nome da banda para si, "embora eu tenha o direito. Estou em turnê solo, lancei o CD duplo ao vivo Hoje no Bolshoi, em DVD e  Blu-ray. O primeiro Blu-ray de um artista de rock brasileiro, diga-se de passagem", comenta. Mais, ele não fala. "Esse assunto está encerrado. Vi o que vi, não gostei e tive de tomar uma decisão", conclui.

O que diz Gustavo Müllen - Do lado de cá, em Salvador, os atuais membros do Camisa de Vênus se dividem entre o silêncio e o pouco-caso com o assunto. "Se ele não gosta de ver o Camisa gravando com dinheiro do governo, por que ele toca no Sesc e na Virada Cultural de São Paulo?", rebate o guitarrista Gustavo Müllen, o único que aceitou comentar a questão.

Para Gustavo, a intimação de impedimento impetrada por Marcelo "não tem validade legal". "Marcelo ainda não pagou o registro do nome Camisa de Vênus no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial). E o documento que ele enviou está vencido. Minha mulher é advogada. Judicialmente, ele não tem validade", afirma.

Gustavo achou errado Marcelo enviar o documento a Eduardo Scott e ao produtor que entrou com o edital na Secult, Marcos Clement - que afirmou ter se desligado da banda após saber da ordem judicial. "O advogado dele é burro. Mandaram a intimação para Scott e Marquinhos, que nada tinham a ver com isso. Tava louco que mandassem pra mim", ri.

Sobre o futuro da banda, Gustavo afirma que vai continuar tocando com o nome Camisa de Vênus "toda vez que me der na telha". Quanto ao disco financiado pela Secult, ele foi evasivo: "Talvez sim, talvez não. Ainda vamos ver isso", disse.